saiba o que e uma unidade monetaria

Saiba o que é uma unidade monetária!

A unidade monetária é um dos conceitos mais importantes para o mundo econômico e até mesmo social e político. Afinal, é a unidade monetária que chamamos de “moeda corrente”, presente em cada país, e o valor monetário que faz parte das transações diárias. 

Essa que, em uma época distante, foi uma verdadeira revolução, hoje é praticamente um componente elementar da vida humana, difícil de ser imaginada fora do nosso contexto. 

A unidade monetária está hoje presente no mundo inteiro, compõe o mercado comercial com lugar de primazia e é essencial para entendermos certas movimentações econômicas e até mesmo políticas.

Hoje iremos entender melhor o que é uma unidade monetária, sua natureza, quais seus fundamentos e funcionamentos. Confira! 

Qual é a unidade monetária oficial do seu país?

A unidade monetária hoje está presente em praticamente qualquer país, seja ele desenvolvido, emergente ou até mesmo aqueles considerados subdesenvolvidos. Todos utilizam alguma espécie de unidade monetária, mesmo que ela não esteja presente para toda a população, como é o caso da maioria dos outros países com uma situação melhor e mais desenvolvidos. 

Em nosso país, no Brasil, a unidade monetária oficial é o real. Mas nem sempre foi assim e, ao longo de muitos anos e décadas, sofremos mudanças na nossa moeda. 

O real, na verdade, é bem recente, sendo criado somente em 1994 no governo do então presidente Itamar Franco. O que ficou conhecido como “Plano Real” foi uma tentativa de controlar a inflação e estabilizar uma série de outras crises econômicas que estavam acontecendo ou que estavam por vir. 

Esse plano foi um sucesso e a moeda realmente cumpriu, em muitos aspectos, com o seu objetivo. A moeda real é representada pela letra R seguida do símbolo de cifrão (R $). O curioso é que o real que hoje temos, e que existe desde 1994, não foi a primeira moeda chamada real utilizada em nosso território. 

Uma curiosidade histórica interessante é que, entre os séculos XVI e XIX, o Reino de Portugal também utilizava uma moeda chamada “real” (no plural, réis). À época, visto que Coroa lusitana tinha como colônia a América Portuguesa (parte do território que hoje corresponde ao Brasil), os famosos “contos de réis” também circularam pela região que hoje o Brasil ocupa.

Além dos Réis, usados até os anos 1942, e do Real, criado em 1994, o Brasil já teve como unidade monetária as seguintes moedas: 

  • Cruzeiro;
  • Cruzeiro Novo;
  • Cruzeiro (anos 1970 e 1980);
  • Cruzado;
  • Cruzado Novo;
  • Cruzeiro (anos 1990);
  • Cruzeiro Real. 

Viu quantas unidades monetárias o Brasil já passou? É realmente incrível as transformações econômicas perpetradas por elas. 

Como é o processo de criação de novas unidades monetárias?

O processo de criação de uma nova unidade monetária envolve muitos planos, que muitas vezes até transcendem o cenário puramente econômico.

Nesses planos, são levados em conta inúmeros fatores, cálculos e considerações e no geral ao criar uma nova unidade monetária. Aqui, o que o governo está tentando ao máximo é criar uma moeda mais forte, mais segura e confiável. 

Quais são as principais unidades monetárias utilizadas em seu país?

No Brasil, a unidade monetária predominante e em circulação popular é o real, mas essa realidade pode ter nuances, principalmente, em regiões de fronteira entre o território brasileiro e outros países da América Latina.

Existe alguma limitação na quantidade de unidades monetárias que podem ser criadas?

Quando falamos na emissão de moedas, existe uma série de fatores a serem considerados, visto que esse processo não pode ser indiscriminado. A emissão de moeda é feita, no Brasil, pela Casa da Moeda, e a depender de fatores como capacidade produtiva do país, venda de títulos públicos, taxa de juros, entre outros, uma emissão pode implicar em riscos de inflação.

Conhecer como o nosso país desenvolveu sua unidade monetária atual e como ela opera é essencial para compreendermos o desenrolar de movimentações político-econômicas e seus impactos na estrutura social.


Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *