Quais são os Valores Inclusos no Financiamento Imobiliário?

0 2

Comprar um imóvel, embora possa ser um sonho de muitas pessoas, pode não ser uma tarefa simples. Para a maioria dos compradores, a quantia que precisa ser acumulada em dinheiro é muito alta e outra opção é o empréstimo.

Mostramos aqui o que é preciso para financiar um imóvel e, como as taxas de juros caíram, por que agora é um dos melhores momentos para obter uma hipoteca. No entanto, um empréstimo é uma ação que exige muitas responsabilidades.

É importante ressaltar que existem alguns valores de financiamentos que superam o valor das taxas de juros e das prestações.

Aqui, vamos mostrar alguns valores incluídos no financiamento, mas não considerados por muitas pessoas, para que os futuros compradores possam planejar corretamente, para que não haja surpresas no financiamento.

Cálculo de Juros

É errado pensar que a taxa de juros é integralmente responsável pelo valor que deve ser parcelado no período do financiamento. O comprador precisa perguntar ao seu banco o custo efetivo total do empréstimo ou CET. O CET corresponde a todas as taxas, encargos, impostos e seguros cobrados aos proponentes do financiamento, sendo que apenas conhecendo o valor é que se pode saber o valor real a pagar. Incluído na CET, o valor do financiamento é indexado com a taxa de juros, existe a TR, ou taxa de juros referencial.

A home tax deduction concept illustrating rental income

Criado no início da década de 1990, foi utilizado para controlar a hiperinflação ocorrida na época, hoje é utilizado como indicador de determinados investimentos e também para cálculo da taxa de juros de financiamentos imobiliários. A boa notícia é que essa taxa é de 0% desde setembro de 2017.

Tarifas

Quando os bancos assinam contratos de financiamento, eles precisam realizar algumas atividades de cobrança. Duas das taxas são taxas de avaliação de propriedade e taxas de avaliação jurídica. A taxa de avaliação do imóvel corresponde ao valor pago ao perito designado pelo banco para a vistoria do imóvel.

O objetivo da fiscalização é, principalmente, verificar se o valor do imóvel concorda com o valor real de mercado e se há prejuízo à sua liquidez. A taxa de avaliação legal é uma taxa cobrada pelo banco para verificar os documentos do comprador, do vendedor e do próprio imóvel para comprovar não haver nenhum problema que impeça o financiamento.

Ambas as taxas incidem sobre todos os financiamentos e seus valores variam de 3.000 reais a 4.000 reais, podendo ser diluídas no valor do parcelamento.

Além dessas duas taxas, o banco também cobra uma taxa de administração pelos serviços prestados durante o período do financiamento, cuja taxa tem valor pré-determinado, normalmente em torno de 25 reais, e é cobrada parceladamente.

Seguros

Adicionalmente, todo o financiamento através do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) pressupõe a celebração de dois seguros, nomeadamente o Seguro de danos Materiais (DFI), que visa cobrir danos materiais causados ​​por fatores externos, bem como morte e morte.

O Seguro de Invalidez Permanente (MID) garante que o banco receba o pagamento no caso de falecimento do comprador ou impossibilidade de trabalhar devido à invalidez permanente.

O custo total dos dois tipos de seguro é de aproximadamente 3% a 5% do valor do imóvel e deve ser pago com a parcela do financiamento. É importante ressaltar que embora sejam obrigatórios, não precisam ser segurados no mesmo banco onde o financiamento é feito, portanto, podem ser segurados na instituição que oferecer as melhores condições. Compradores.

Custos Além do Financiamento

Além desses dois tipos de pagamentos, existem algumas outras despesas que, embora não sejam relacionadas ao financiamento, precisam ser pagas no momento da compra do imóvel.

Eles são: Emissão de documentos – documentos que precisam ser entregues ao banco financiador, bem como taxas de notarização de registros e escrituras;

ITBI-Taxa de transmissão imobiliária necessária à formalização das transações, até 3% do valor do imóvel;

Comissão – valor pago à empresa ou corretor que negocia com o intermediário, normalmente 6% do valor do imóvel;

Mudanças e reparos – muitas vezes esquecidos, é necessário considerar os custos envolvidos em mudanças e pequenos reparos na propriedade.

A compra de um imóvel costuma ser um processo caro e burocrático. A EmCasa está aqui para te ajudar para que você tenha o melhor processo de compra. Fale com um de nossos especialistas para tirar todas as suas dúvidas sobre o financiamento da compra de seu próximo imóvel.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.