Pro rata: o que é e como calcular?

1 126

Você sabe o que é o Pro rata? Deseja saber mais sobre do que se trata esse cálculo, e como ele pode ser extremamente útil no seu dia a dia? Venha conosco, e te explicaremos direitinho como ele funciona e como ele pode te ajudar, seja para entender quanto vai receber ou quanto você deverá pagar em determinadas situações, confira.

O que é o pro rata?

De forma simplificada, o cálculo pro rata é usado tanto pelo financeiro de empresas em relação ao tempo de trabalho de seus funcionários, quanto por bancos ou planos de saúde, dentre outros.

Isso se deve pois, o pro rata é a base de cálculo para saber a proporcionalidade tanto de se pagar algo, quanto de receber.

O que é o pro rata?
O que é o pro rata. Fonte/Reprodução: original.

Isso acontece tanto em questões trabalhistas, quando se entra em uma nova empresa, como quando entra de férias, e até mesmo quando tem que saber o quanto tem que pagar em determinados serviços prestados em um determinado número de dias. 

Em nosso dia a dia, muitas vezes não somos contratados nem contratamos serviços nos 30 dias de base de cálculo ideal, e sim, em alguns dias específicos, como 15 dias, 10 dias, etc. Realizando o cálculo pro rata, ou seja, realizando o cálculo para saber proporcionalmente o quanto se deve pagar ou receber, essas determinações são feitas de forma efetiva e justa.

Como o pro rata é calculado?

O pro rata diz respeito a uma variedade de situações, no entanto, a base de seu cálculo é sempre uma regra de três, isso porque ela visa justamente utilizar determinada base para chegar ao resultado proporcional correspondente, seja em relação a alguns dias, ou juros e até proporcional de tempo, como acontece em relação a serviços de internet ou planos de saúde.

Qual é o objetivo do pro rata?

Artigos Relacionados
1 De 188

A palavra “pro rata” deriva diretamente do latim e significa “medir ou racionar proporcionalmente” que é justamente onde está o objetivo do cálculo, pois essa divisão em partes menores é essencial para continuidade e efetividades dos negócios, não apenas porque dizem respeito aos valores justos que os clientes devem pagar ou cobrar, mas principalmente as próprias empresas. 

Pois assim como os usuários querem e tem direito a pagar o que é justo, os sócios também tem seus direitos em relação a quanto investiram e quanto devem receber.

Além disso, caso haja mudanças de valores nos serviços, como ocorre em planos de internet de forma anual, por exemplo, os clientes precisam ser informados da mudança e isso deve ocorrer de forma efetiva para que não apenas as perdas sejam minimizadas como a própria receita da organização seja bem planejada para se evitar prejuízo.

Quando o pro rata é aplicado?

Como mostramos, o pro rata pode ser aplicado a várias situações, mas as mais comuns são:

  • Pro rata temporis: é justamente a proporcionalidade relacionada ao tempo de serviço prestado/usufruído, como serviços de internet, etc;
  • Pro rata die: Relacionado a proporcionalidade ao cálculo de juros, como atrasos no pagamento de contas;
  • Pro rata no plano de saúde: Referente a proporcionalidade ao valor mensal em planos de saúde, seja em assinaturas, seja em cancelamentos;
  • Pro rata em dividendos:  Referente a proporcionalidade de lucro entre acionistas de determinadas ações.

Dessa maneira, é possível entender a importância do cálculo em várias situações, e como ele é essencial para o bom andamento do negócio.

Existem limitações ao uso do pro rata?

É claro que apesar de poder ser aplicado em uma variedade de áreas, o pro rata é específico no que diz respeito ao cálculo de proporcionalidade.  Ou seja, se limita a fazer parte desses tipos de cálculos, pois referente a outros, cada negócio e/ou organização deve elaborar a melhor maneira de efetivar essa ação.

Apesar disso, conseguimos ver a relevância do cálculo e como a sua aplicabilidade resulta em um melhor resultado, seja referente a dívidas, quanto a pagamentos, tanto de forma individual, quanto jurídica. 

Mostrar comentários (1)