Pix: Banco Central limita transações a 1.000 reais para evitar fraudes

1 9

O Banco Central anunciou novas medidas de segurança na última sexta-feira (27) para prevenir fraudes e fraudes por meio da ferramenta de pagamento instantâneo Pix. Pix agora limita o valor total de transações de indivíduos e microempresários individuais (MEIs) a 1.000 reais entre 20h00 e 6h00. Isso se aplica a transferências, cartões de débito e liquidações TED entre a mesma conta bancária.

Segundo João Manoel Pinho de Mello, chefe de organização do sistema financeiro e resolução do banco central, o limite não deve prejudicar os usuários, pois o valor da maioria das transações agora está muito abaixo do limite estabelecido.

Ao cobrar 1.000 reais, podemos proteger os ativos dos usuários e deter criminosos sem comprometer a disponibilidade do Pix para a grande maioria das pessoas. ” Se o cliente quiser um limite maior, ele pode solicitar essa mudança, explicou João Manoel Pinho de Mello, diretor de Organização e Resolução do Sistema Financeiro do BC.

Além disso, os bancos e outras instituições financeiras agora terão um mínimo de 24 horas e um máximo de 48 horas para executar as solicitações do usuário para aumentar os limites de transação por meio de Pix, boleto, TED e DOC e cartões de débito. A ideia é evitar a possibilidade de aumento imediato e reduzir as situações de risco.

O BC afirmou que essas medidas devem entrar em vigor em algumas semanas porque as instituições financeiras precisam se adaptar.

Fraudes no PIX motiva o BC

BC enfatizou que os problemas de fraude, fraude e crime envolvendo métodos de pagamento não são exclusivos da Pix – eles também incluem TED, DOC, cartões de débito e até contas. Segundo dados divulgados pelo BC, entre 16 de novembro de 2020 e 20 de agosto de 2021, foi registrada uma suspeita de fraude a cada 100 mil transações.

“Considerando todo o país, isso equivale a 38 mil dúvidas em um total de 3,8 bilhões de transações”, disse Melo.

De 16 de novembro de 2020 a 31 de março deste ano, esse número é de dois para cada 100.000 transações suspeitas.

A segunda forma de pagamento mais usada do Brasil

Segundo levantamento da Federação Nacional dos Gerentes de Loja (CNDL), o Pix já é o segundo meio de pagamento mais utilizado pelos internautas no Brasil. Menos de um ano após seu lançamento, Pix só perde para o dinheiro e ainda é o método de pagamento mais comumente usado. A pesquisa mostra que os meios de pagamento são à vista (71%), PIX (70%), cartão de débito (66%) e cartão de crédito (57%).

Ao comprar na loja física, essa dinâmica parece ter se invertido. Nesse caso, 32% dos entrevistados preferem cartões de débito. Os cartões de crédito seguiram de perto e foram citados por 30% dos consumidores. Apenas 25% dos entrevistados estão mais dispostos a usar dinheiro nessas compras.

Para 83% dos entrevistados, o Pix é o melhor meio de pagamento pela rapidez e praticidade, 34% dos entrevistados disseram preferir o Pix porque pode impedir ou reduzir a interação com máquinas e / ou pessoas. Quase 90% dos entrevistados disseram que usam esse método de pagamento para transferir dinheiro para parentes e amigos ou receber transferências de saldo.

Para compras no e-commerce, mais da metade dos entrevistados disseram preferir usar cartão de crédito. Por outro lado, 32% das pessoas tendem a priorizar o dinheiro nas compras e pagamentos online. As despesas mais citadas incluem pagamento de serviços (40%), compras online (26%), compras de alimentos (18%), restaurantes (17%) e consultas médicas (12%). A pesquisa foi realizada entre 30 de junho e 7 de julho de 2021 e entrevistou 800 moradores da capital brasileira com 18 anos ou mais.

Resumo

Neste artigo você leu sobre o limite imposto pelo Banco Central nas transações Pix, o intuito desse limite é reduzir o número de fraudes envolvendo esse método de transação. Das 20h às 6h da manhã, o valor limite é de R$1000,00, pois, apesar de já ser o segundo método de pagamento mais usado no Brasil, o Pix não está livre de ações criminosas. Mas quem deseja ter esse limite aumentado por algum motivo, poderá fazer uma solicitação para elevar esse valor.

1 comentário
  1. […] Pix: Banco Central limita transações a 1.000 reais… […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.