O que são as empresas adquirentes e como funcionam?

1 184

Você já ouviu falar da importância de uma adquirente de um negócio? Provavelmente, ainda não. Mas certamente a imagem da “maquininha” de cartão é bem familiar, certo? Toda vez em que inserimos o cartão na máquina com intenção de comprar, um processo complexo de integração de compra acontece.

A grande responsável por conectar todas as partes interessadas em uma compra é a adquirente de um negócio. Quase não percebemos sua ação, mas, na verdade, somos influenciadas por ela a todo momento.

O ato de digitar valor e senha na maquininha, bem como inserir um cartão com determinada bandeira: tudo isso é possível pelas empresas adquirente de um negócio. Em questão de segundos, uma empresa fez uma venda, um cliente, uma compra, um cartão foi aprovado e um banco solicitado para informações.

Veja a seguir como a adquirente de um negócio se define na relação de compra e como funcionam!

O que são as empresas adquirentes?

Podemos chamar de empresas adquirentes de um negócio todas aquelas que integram uma compra entre as partes interessadas, a saber: o estabelecimento comercial, o cliente, a empresa de cartão de crédito e o banco do cliente.

o que são as empresas adquirentes
As empresas adquirentes. Fonte/Reprodução: original

Sem a empresa adquirente de um negócio, todo o procedimento complexo (disfarçado de simplicidade) de usar o cartão para compras em crédito ou débito seria impossível.

O que fazem as empresas adquirentes?

Na prática, isto é, em cada transação de cartão feita no mundo inteiro diariamente, as empresas adquirentes tornam possível e estruturam de forma operacional o processo de compra. Através das maquininhas, essas empresas são capazes de, primeiro, registrar a compra. E uma vez registrada, ocorre o processamento do pagamento.

Após o processamento, a adquirente de um negócio integra a compra, através da conexão entre o estabelecimento, o banco e bandeira do cartão.

Como funciona?

Para entender melhor como funciona a integração da compra, basta seguir cada passo do processo de compra com cartão. Primeiro há o registro. Em seguida, a adquirente de um negócio “avisa” à bandeira do cartão sobre a compra.

Onde, é feita uma checagem sobre o limite do titular do cartão, a fim de prosseguir com a compra. Se não houver nenhum impedimento, o pagamento é confirmado pela adquirente.

Artigos Relacionados
1 De 58

O gateway de pagamentos

Já o gateway de pagamentos é uma alternativa à maquininha, que funciona através de um API de pagamento. É uma alternativa interessante para donos de e-commerce pequenos, a fim de proteger as compras dos clientes.

O mercado de adquirentes

No Brasil, o mercado de adquirentes é cada vez mais concorrido. Até o ano de 2010, havia uma norma que impedia as bandeiras de cartão de serem usadas por mais de uma adquirente. Mas isso mudou e, hoje em dia, há novas adquirentes no mercado e o uso de bandeiras não é mais feito em contratos de exclusividade.

As maiores adquirentes do país são a Cielo e a Rede, que fazem parte dos gigantes Banco do Brasil e Itaú, respectivamente. Mas empresas como a Stone estão cada vez mais sólidas no mercado.

As bandeiras de cartões

Mais do que um símbolo impresso no cartão, uma bandeira se trata de uma instituição que dita as regras de pagamento, tais quais o número de parcelas permitidas.

A bandeira faz parte da relação de compra integrada e é contatada pela adquirente no momento em que uma compra, no crédito ou débito, é processada.

Em suma, na transação de compra com cartão, a bandeira conecta a adquirente de um negócio com o banco do cliente.

O que são as subadquirentes

Em alguns tipos de negócio, como os e-commerces, e empresas pequenas, pode ser inviável contratar os serviços de uma adquirente, em questão de preço e burocracia. Mas ainda é preciso obter os seus benefícios de alguma forma.

Nesse caso, a alternativa é contratar uma subadquirente. A função desse tipo de empresa é intermediar toda a compra, conectar o cliente, o banco, a bandeira de cartão, o estabelecimento e a adquirente de um negócio.

A diferença é que a subadquirente insere uma camada a mais na integração da compra, mas o efeito, no fim das contas, é o mesmo: uma compra no cartão de crédito ou débito, com toda rapidez e segurança necessárias.

A adquirente de um negócio pode passar despercebidas pelo consumidor, mas são essenciais para movimentar o mercado e nos dar a oportunidade de compras rápidas e que nos trazem segurança.

Mostrar comentários (1)