Jornada 12×36: Saiba como funciona essa jornada

0 25

A jornada 12 × 36 gera muitos questionamentos e polêmicas, principalmente entre elas: a dificuldade de gestão, como controlar essa jornada e, claro, a qualidade de vida dos colaboradores.

Afinal, trabalhar 12 horas não obedece às regras da CLT, que determinam que os funcionários da CLT trabalhem 8 horas por dia. Então, como você procede?

O ponto de partida da jornada 12 × 36 é que ela não se aplica a nenhuma categoria. Portanto, é mais comum no monitoramento de empresas, atividades de manufatura, hospitais ou quaisquer outras filiais que exijam a divisão de funcionários 24 horas.

Como funciona a jornada 12×36?

No sistema de turnos 12 × 36, como o nome sugere, os funcionários têm 12 horas por turno, e têm direito a descanso de 36 horas após o expediente.

Durante este período de trabalho, os colaboradores têm ainda direito a pelo menos 1 hora de alimentação ou descanso. Afinal, ninguém tolera 12 horas de trabalho contínuo sem descanso, o que pode até prejudicar a saúde dos colaboradores.

Agora, a lei permite esse tipo de jornada? Vamos descobrir.

Jornada 12×36 é permitida pela lei?

Sim. Após a reforma trabalhista aprovada em julho de 2017, a legislação trabalhista passou a permitir 12 × 36 horas de trabalho.

Antes da reforma, poucas categorias utilizavam esta jornada de trabalho, pois exigia a implementação de um acordo coletivo ou o recurso a um acordo coletivo. Mas, de acordo com o decreto, agora é possível determinar essa jornada por meio de um acordo pessoal por escrito.

Assim estipula o Artigo 59-A, consulte o texto completo:

“Salvo o disposto no art. No artigo 59 desta incorporação, as partes podem estabelecer jornada de trabalho de 12 horas por meio de convenção pessoal escrita, convenção coletiva ou convenção coletiva de trabalho, seguida de descanso ininterrupto de 36 horas, observação ou compensação descanso E tempo de descanso para as refeições.

Parágrafo único. O vencimento mensal acordado antes do tempo especificado no caput deste artigo inclui as pausas semanais remuneradas e as férias, bem como as contas a pagar por feriados e prorrogações do trabalho noturno (se houver), se houver, conforme mencionado no art. Artigo 70 e artigo 5. Artigo 73 desta incorporação. ”

Para a Dra. Cecília Carvalho, advogada do Bobrow Teixeira de Carvalho Advogados, essa é uma necessidade milenar do mercado: “Há muito tempo as pessoas precisavam de horários flexíveis. As reformas permitem que empresas e funcionários escolham o escalão a seguir. ”

Acrescentou ainda que embora seja possível ter de trabalhar 12 horas por dia, os colaboradores não ficam desamparados, pois respeitar a jornada de trabalho e o intervalo de 36 horas é a regra: “Não desampara o colaborador a partir do limite de horas. palavras, ele escolhe a quantidade de horas por dia desde que respeite o limite semanal. Isso é benéfico porque respeita as necessidades de ambas as partes sem interferir nos direitos dos trabalhadores”, concluiu.

O que mudou 12 x na jornada 36 após a reforma trabalhista

Pode-se dizer que o crédito da reforma trabalhista é permitir que mais categorias embarquem nesse caminho. Bem, agora, eles também são suportados pelo CLT.

Jornada 12×36 – Antes da Reforma 12×36 – Depois da Reforma
Não existia previsão na CLT. Passa a ser regulamentada pela CLT com o artigo 59-A.
Só era possível adotar mediante acordos coletivos ou convenções coletivas de trabalho. Passa a ser aceito o acordo individual escrito entre empregador e empregado.

E pode ser adotado mais facilmente porque as convenções e acordos coletivos geralmente demoram algum tempo.

O acordo entre o empregador e o empregado já é suficiente para a efetivação dessa jornada. Conforme mostrado na tabela a seguir:

Súmula 444 TST após reforma trabalhista

Sem citar o scorecard 444 do TST, é impossível falar sobre a jornada de 12 × 36. É amplamente utilizado para resolver conflitos trabalhistas relacionados a essa jornada.

O resumo estipula que, ao trabalhar aos domingos e feriados neste itinerário, o empregado deve receber o dobro.

Porém, com a promulgação da nova lei trabalhista, esse sumário acabou perdendo a validade, pois a lei entende que nos turnos 12 × 36 os funcionários podem precisar trabalhar aos domingos ou feriados em regime de plantão.

Outro ponto a se destacar é que, como o sumário é anterior à reforma, o atual vigora é o artigo 59-A da reforma trabalhista.

Quais os direitos de quem trabalha em jornada 12×36?

Em geral, acredita-se que as pessoas que trabalham sob esse sistema têm certos benefícios especiais. Porém, o fato é que o empregado também recebia os benefícios usuais da CLT, como férias, 13 dias, vale-transporte, FGTS e outros abonos trabalhistas.

Porém, neste tipo de trabalho, alguns direitos, como descanso plantio, dias de descanso e horas extras, ainda são complicados. Deixe-nos entendê-los em mais detalhes, para que você não tenha alguma dúvida.

Intervalo Intrajornada

O descanso diurno é entendido como “dentro de um dia”, ou seja, descanso ou pausa para refeição.

E, como mencionado acima, eles devem seu crédito aos colaboradores dessa jornada. A empresa não pode deixar de proporcionar aos colaboradores, pelo menos, uma hora de descanso.

Caso isso não ocorra, esta hora suprimida pode ser configurada como hora extra e deve ser paga com as respectivas sobretaxas.

Como no período intradiário, as rodadas 12 × 36 também sofrerão interrupção da intercomunicação. Corresponde ao intervalo de 36 horas durante o qual os colaboradores devem descansar entre uma jornada de trabalho e outra.

Agora que vimos a previsão do itinerário 12 × 36 na lei, uma parte importante deste artigo vem. Vamos falar sobre como o RH pode gerenciar melhor essa jornada.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.