hedge cambial o que é e quais ferramentas que são usadas

Hedge cambial: o que é e quais ferramentas que são usadas?

Entender o funcionamento do hedge cambial é fundamental e praticamente obrigatório para pessoas que realizam operações financeiras em vários países. Afinal de contas, toda garantia de segurança é bem-vinda quando tratamos de finanças.

Ainda assim, percebe-se que até mesmo algumas empresas e investidores mais experientes têm dificuldades em compreender a utilidade e funcionamento de um hedge cambial. Pensando nisso, preparamos este artigo especial com o que você precisa saber sobre o assunto. Acompanhe a seguir.

O que é hedge cambial?

Conforme mostramos na introdução, a ideia principal do hedge cambial é ser uma espécie de proteção para as operações financeiras que transitam entre países diferentes, sejam elas ativos, importações, exportações, entre outros. Assim, podemos pensar nele como uma espécie de seguro para garantia de investimentos.

o que é hedge cambial
Hedge cambial. Fonte/Reprodução: original

Acontece que existem cenários nos quais a moeda de um país pode sofrer desvalorização, o que faz com que os investidores migrem para investimentos com moedas mais estáveis — a exemplo do euro e do dólar. Com isso em mente, podemos nos aprofundar nos benefícios de usar o hedge cambial.

Quais são os principais benefícios de se utilizar um hedge cambial?

O principal benefício que se vê e se busca no uso de um hedge cambial, tanto por parte de empresas como de investidores, é garantir uma maior taxa de lucro nos investimentos juntamente a uma maior segurança para possíveis cenários no futuro, independente da moeda a ser utilizada.

Como dissemos, as moedas podem sofrer variações, o que exige medidas para tentar diminuir ao máximo possível as influências dessas variações no valor final do patrimônio. Para isso, existem diversas formas que o hedge cambial pode ser usado.

Quais são as principais ferramentas utilizadas para hedging cambial?

Como você pode ver nas vantagens do hedge cambial, vários pontos precisam ser atendidos para que os investimentos não sejam impactados. Por isso, é possível acertar em algumas estratégias com características semelhantes, mas levemente diferentes, a depender da situação daquele investimento. Algumas delas são:

  • Contrato a termo de moeda;
  • Contrato futuro;
  • Contrato de opções sobre taxa de câmbio;
  • SWAP.

Cada um dos tópicos dessa lista possui uma aplicação para um contexto diferente. Vale destacar que o primeiro da lista é o mais utilizado no mercado. Ele serve quando duas partes acertam, entre si, as compras de moeda estrangeira, bem como outras etapas do processo, como volume e outros elementos.

Como funciona um hedge cambial?

De uma maneira geral, vimos que a ideia de um hedge cambial é uma boa opção no ambiente de derivativos, com o objetivo de minimizar alterações nos valores por causa do câmbio do ativo. A função do hedge cambial, no final das contas, é propor um preço fixo para a moeda, que será acertado entre as duas partes do acordo para uma operação futura, em comum acordo.

Quais são os riscos envolvidos na utilização de um hedge cambial?

Apesar de ser uma proposta boa, o hedge cambial tem dois problemas principais: a baixa liquidez e o risco de crédito maior do que o comum. Por causa desses dois fatores, é notável que o investidor deve analisar a situação da empresa e notar qual a melhor forma de atuar sem grandes perdas.

quais são os riscos envolvidos na utilização de um hedge cambial
Riscos envolvidos na utilização de um hedge cambial. Fonte/Reprodução: original

Dessa maneira, o recurso do hedge cambial é uma alternativa útil, mas que exige toda cautela e, principalmente, um estudo da conjuntura da sua empresa.


Comments

Uma resposta para “Hedge cambial: o que é e quais ferramentas que são usadas?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *