Como renegociar minha dívida do Fies e dividir ela em até 150 vezes?

0

Uma Medida Provisória do fim de 2021 possibilitou a renegociação da dívida do Fies dividida em até 150 vezes, além de ter dado também outras facilidades para o pagamento das parcelas. Isso impacta diretamente várias pessoas que estão inadimplentes junto aos bancos públicos por causa do financiamento estudantil.

De acordo com dados do próprio Governo Federal, mais da metade dos estudantes que contrataram financiamento estudantil está inadimplente (51,7%). Mas, com a MP 1.090/22, é possível ter a dívida do Fies dividida em até 150 vezes, a depender de cada caso. De toda forma, existem outras facilidades de pagamento da dívida. Acompanhe o texto e saiba tudo sobre.

Como funciona a dívida do Fies dividida em até 150 vezes?

A MP 1.090/22 foi convertida em lei no Congresso Nacional e estabelece várias formas para facilitar a quitação do financiamento estudantil, inclusive a possibilidade da dívida do Fies dividida em até 150 vezes. No entanto, nem todo mundo pode usufruir dessa facilidade específica.

Como funciona a dívida do Fies dividida em até 150 vezes?
Novo site do Fies Fonte/Reprodução: gov.br

No caso, para renegociar a dívida do Fies dividida em até 150 vezes é preciso estar inadimplente há mais de 90 dias, tendo como referência a data da publicação da MP. Nesse caso, o estudante ainda tem um desconto de 12% do valor total devido e também uma redução a zero dos juros e encargos aplicados ao longo do tempo.

Quem tem direito?

Tem direito a usufruir das facilidades de pagamento estabelecidas pela MP 1.090/22 todas as pessoas que possuam dívidas em aberto com o FIES em contratos firmados até o segundo semestre de 2017. Em outras palavras, estudantes que contrataram o financiamento de 2018 em diante, mesmo que estejam com parcelas atrasadas, não podem utilizar as regras determinadas pela Medida Provisória.

Dívida com mais de 01 ano de atraso

Para quem está com a dívida junto ao FIES há mais de 360 dias existem dois tipos de desconto, que são concedidos a partir do perfil do estudante: para quem está inscrito no CadÚnico ou recebeu o Auxílio Emergencial, o valor do desconto é de 92% do valor da dívida. Já para as pessoas que não pertencem a esse grupo, o corte é de 86,5% do saldo devedor. O parcelamento, nos dois casos, pode ser feito em até 10 vezes.

Dívida com menos de 01 ano de atraso

No caso de quem está com parcelas em atraso entre 90 e 360 dias, é possível renegociar a dívida do Fies dividida em até 150 vezes. Nesse cenário, a MP ainda garante uma redução de 100% dos encargos de juros e multas acumulados e estabelece um desconto de 12% do valor total devido.

Como fica as multas e juros pelo atraso?

No caso das pessoas que podem renegociar a dívida do Fies dividida em até 150 vezes, a Medida Provisória garante redução total dos juros e multas por atraso que foram acumuladas ao longo dos meses de inadimplência, ou seja, corte de 100% nesses encargos.

Como é feita a renegociação?

Para conseguir pagar a dívida do Fies dividida em até 150 vezes, ou aproveitar as outras formas de quitação, é preciso acessar os serviços da Caixa Econômica ou Banco do Brasil, a depender da instituição onde o estudante contratou o financiamento. No caso da Caixa, é preciso entrar no site oficial e realizar a solicitação de renegociação. Após simular as parcelas, é possível gerar um boleto com a primeira mensalidade (ou com o valor total, para pagamento à vista).

Como é feita a renegociação?
Site do SisFies Fonte/Reprodução: gov.br

Já no Banco do Brasil, é preciso entrar no aplicativo da instituição e pesquisar pela opção “Soluções de Dívidas”. Nessa seção, o estudante pode verificar os requisitos para renegociar a dívida, além de ver quais são as opções de parcelamento e os descontos disponíveis. Também é possível, claro, solicitar o novo contrato, já com os descontos e facilitação de pagamento.

Com isso, já dá para conseguir pagar a dívida do Fies dividida em até 150 vezes ou aproveitar as outras formas de quitação. É importante lembrar que, a partir do pagamento da primeira parcela (ou do valor integral, se for o caso), o nome do devedor fica “limpo” novamente e deixa de estar registrado nos órgãos de proteção ao crédito.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

DMCA.com Protection Status