Divida de financiamento de veiculo prescreve?

2 27

Financiar um carro é quantas pessoas obtêm esse bem caro no Brasil. No entanto, pode ser muito difícil pagar as parcelas – especialmente na situação atual, em que estamos sofrendo o impacto econômico da pandemia. Para evitar dívidas e suas consequências, devolver o carro amigavelmente é outra opção. Existe mais de uma maneira amigável de devolver o carro, mas é importante estar atento às perdas econômicas nessas situações. Existem outras opções para solucionar esse problema, como a transferência de financiamento ou a tentativa de renegociação com instituições credoras.

Afetados pela situação atual, alguns bancos adiaram o pagamento das prestações dos carros, mas as taxas de juros permaneceram inalteradas. Nesse sentido, é importante não se deixar enganar pela aparente estagnação da conta para que seus pagamentos estejam sempre em dia.

Consequências de não pagar as parcelas do financiamento

Mesmo em circunstâncias especiais, não pagar as prestações da hipoteca é uma decisão errada. Um erro comum é esperar que a dívida aumente, acreditando que o problema é temporário, ao invés de agir imediatamente em caso de inadimplência. Isso cria dívidas que são quase impossíveis de pagar. Normalmente, após alguns dias de atraso no pagamento, a instituição financeira entrará em contato com você para cobrar do cliente. Em caso de inadimplência, o nome do devedor pode ser inserido no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e o veículo pode ser confiscado. No entanto, é preciso entender o abuso de juros e a ameaça de apreensão de bens para forçar o pagamento da dívida – muito comum neste caso.

Por causa do “nome sujo”, os inadimplentes não podem pagar parcelado, novos financiamentos ou empréstimos, e até encontrar um emprego é complicado. No entanto, existem opções viáveis ​​para evitar bolas de neve e não sofrer essas consequências graves.

Quando o financiamento não é pago no prazo, a entrega do carro de forma amigável pode evitar muitas complicações, mas é condicional.

Devolver veículo financiado só é possível se a instituição aceitar

Em muitos casos, as instituições financeiras oferecem mais de uma possibilidade para resolver o inadimplemento. Portanto, o ideal é não esperar que a agência entre em contato com você, mas procurá-la assim que um problema for descoberto. O histórico do cliente pode ser analisado para determinar se o padrão pode ser temporário. Nesse sentido, a devolução do veículo pode ser rejeitada. E, caso aceite, as condições de entrega do carro serão determinadas pela agência com base no financiamento e no valor da dívida.

Como funciona a devolução amigável de veículo financiado

Em primeiro lugar, é importante entrar em contato com as instituições financeiras para saber se os serviços estão normais durante a epidemia e se os serviços precisam ser organizados. .Para oficializar a devolução é necessário reconhecer a firma com firma reconhecida Muitos cartórios já compareceram com hora marcada. Em segundo lugar, para retornar, o veículo deve estar em bom estado de conservação.

Profissionais de instituições financeiras farão a inspeção do veículo antes de confirmar a operação. Para que o retorno seja oficial, é necessário reconhecer a assinatura notarial. Este prazo (deve ser aprovado em cartório) garantirá que a instituição receba o pagamento devido. Portanto, caso o veículo não seja devolvido, a dívida pode ser recuperada em juízo.

Terceiro, é importante saber que você ainda pode precisar pagar depois que o carro for entregue. Para recuperar os veículos de financiamento, algumas instituições prometem quitar integralmente as dívidas após a devolução, mas nem sempre é o caso. Parte do pagamento da dívida inclui a entrega do veículo, mas poderá incorrer um determinado valor, dependendo da forma de pagamento escolhida.

Como devolver um veículo financiado

Existem duas formas de retorno amigável, sendo que a liquidação da dívida dependerá do método escolhido pelo cliente: liquidação parcial ou liquidação total.

Quitação parcial

Na liquidação parcial, o carro será leiloado, mas a dívida pode não ser totalmente quitada. Isso acontece se o veículo for vendido por um preço inferior ao da dívida, o que acontecerá na maioria dos casos. Neste caso, o restante valor ainda deverá ser pago. Além disso, durante o período em que o carro não for leiloado, a agência pode continuar cobrando juros sobre a parcela do empréstimo que estiver em mora.

Quitação total

Após o pagamento integral, o carro deve ser devolvido à agência, que irá considerar o débito a ser quitado. Desta forma, você não precisa pagar nenhum valor no futuro. No entanto, novos financiamentos podem ser difíceis porque as pessoas que optam pela liquidação total têm crédito mais baixo. Antes de tomar uma decisão, um aspecto deve ser considerado: por que financiar? Se o veículo for essencial, devolvê-lo pode não ser uma boa ideia. Pode ser mais vantajoso encontrar outra solução para ficar no carro.

2 Comentários
  1. […] é uma estatística muito importante para analistas de BI (Business Intelligence) em busca de alternativas ou oportunidades de primeiro emprego no mercado de trabalho. Os […]

  2. […] é iniciado um procedimento denominado “concorrência de credores” para apurar o valor a ser pago e a quem, a ordem legal é respeitada e o estoque é encerrado. Se estiver próximo. Os herdeiros […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.