Auxílio Brasil pagará menos aos mais pobres! Entenda a diferença

A concentração de benefícios tende a dispersar o foco do novo Bolsa Família nas pessoas carentes

1 161

O aumento do Auxílio Brasil já não é mais uma surpresa, tampouco a quantidade de beneficiários. Porém, os números continuam indefinidos até o momento.

A alteração para este novo programa social deve começar a valer dentro de 90 dias, ou seja, em novembro de 2021.

Como funcionará a remuneração do Auxílio Brasil?

Os pagamentos do Auxílio Brasil irão funcionar da seguinte forma: haverão três tipos de crédito, sem contar com um bônus adicional, que pode ser através dos desempenhos escolares e esportivos.

Através dessa medida provisória, há algumas modalidades do benefício:

Modalidade para crianças:

Destinado a famílias com bebês e crianças até 3 anos;

Modalidade para jovens:

Destinada para famílias com jovens de até 21 anos;

Modalidade para famílias carentes:

Destinado às famílias de extrema pobreza com filhos ou não.

Por que o Auxílio Brasil pagará menos aos mais pobres?

No entanto, essa mudança fará com quem precise receber mais, não receba, e quem não precisa, irá receber a mais. Isso torna o programa desbalanceado e desigual aos mais necessitados.

O que é notório, é o fato de famílias na margem de maior vulnerabilidade com uma renda de R$ 89,00, somar esse valor para cada criança, adolescentes de no máximo 15 anos, gestantes e lactantes, com até no máximo cinco pessoas a receberem por casa. Há alteração no valor para R$ 48,00 para adolescentes de 16 e 17 anos, que possuem limite de apenas dois pagamentos por família.

O valor a ser pago

Segundo o Presidente Jair Bolsonaro, o valor seria de R$ 400,00, porém há discordâncias entre membros econômicos e outros políticos. Arthur Lira, presidente da Câmara, disse que o Bolsa Família seguirá dentro do possível, no valor de R$ 300,00.

A novidade da vez, é que cerca de dois milhões de novos beneficiários irão ser inclusos no programa. As datas ainda não foram definidas.

A desigualdade

Apesar das mudanças no programa, o nível de desigualdade social irá continuar da mesma forma. Isso se dá pelos aumentos bruscos no desemprego, além do custo de vida que aumenta cada vez mais. Os valores a serem pagos, não irão dar conta dos gastos de cada família.

Vale lembrar de algo importante: valores altos de alimentos, de água e luz são um dos grandes problemas que contribuem para uma vida miserável na classe média e baixa. É por isso que para Sandro Maskio, o Auxílio Brasil será de pouca ajuda.

Bônus do Auxílio Brasil

Este novo programa irá contar com o Bolsa Iniciação Científica Júnior, na qual será paga através de 12 parcelas para alunos com um ótimo desempenho tanto em competições acadêmicas quanto científicas. Outro auxílio que será totalmente importante para o futuro do jovem brasileiro, é o Auxílio Esporte Escolar, que terá idade mínima de 12 e máxima de 17 anos e será direcionado aos estudantes com destaque nos esportes.

O auxílio Criança Cidadã será para bebês que ainda não completaram 2 anos de idade, caso não consigam vagas em nenhuma creche, seja privada ou pública; já o Auxílio Inclusão Produtiva Rural será pago durante 36 meses, aos agricultores que estão inscritos no CadÚnico; por fim o Auxílio Inclusão Produtiva Urbana é para aqueles que recebem pagamentos do Auxílio Brasil, mas que tem algum tipo de ligação com emprego formal.

Por último temos o Benefício Compensatório de Transição, com a finalidade de manter as famílias que já estão cadastradas no Bolsa Família com o benefício. No entanto, há a polêmica de que parte do valor será perdido a partir do momento em que ocorrer a transição para o Auxílio Brasil.

Considerações do Ministério da Cidadania sobre os benefícios do Auxílio Brasil

Segundo o Ministério da Cidadania, este novo programa social fará com que haja uma segurança maior, além de haver novas chances para que a população consiga se emancipar de áreas vulneráveis. A ideia é a de ampliar o que já acontecia com o Bolsa Família, e evitar que pessoas de extrema pobreza continuem na miséria.

A questão levantada pelo Ministério da Cidadania, é o fato da desigualdade social continuar a existir no Brasil. É algo que estão em busca de solucionar, melhorar e, com o Auxílio Brasil, incentivar os estudos das crianças e adolescentes para que tenham opções de escolha no futuro.

Para alguns, o fato de ter inclusão com diversos bônus, pode acarretar em exclusão social para os mais pobres. O que gera incômodo é o fato de que seria melhor uma separação desses programas, ao invés de estarem juntos. Um exemplo significativo, são os programas sociais como FIES, Bolsas de Iniciação Científica e Política de Cotas.

1 comentário
  1. […] Auxílio Brasil também promove o desenvolvimento de crianças e adolescentes por meio de apoio financeiro e […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.